Blog da Li Mendi

Tudo beeeem nada

Eu sou como a Rosa. Aquela do comercial de carro, que queria casar na primavera, mas casou no outono: “tudo bem”… Sempre me irritou este comercial, poxa, “chega de tudo bem”, dizia o narrador no final. Ficava mais incomodada ainda quando ele passava bem antes de algum filme. Mas estranhamente descobri que eu sou a Rosa.

Ando farta de tudo. De toda vez ouvir que ele vai estar de serviço, depois de ter ficado me arrumando e fazendo um monte de planos. Esse fim de semana foi um desses, mas…“Tudo bem…”, digo eu, já no piloto automático.

Tive vontade de apertar o botão e desligar, porque essa estorinha bonitinha e trágica já está me consumindo as energias. Começo a entrar em um alto grau de irritação e tudo que ele faz vira à gota d’água. Quando consigo nas raríssimas vezes falar com ele na Internet me vem com uma desculpa de que está cansado, que está mal, que tem que sair logo, que está preocupado, que isso, que aquilo e? “Tudo bemmmm”, eu repito.

Andei me perguntando se não termino para não dar o gostinho de derrota para os outros, se por ter já passado por tanta coisa e ter visto que foi em vão… ou se gosto mesmo. Não sei, meu coração anda pior que o quarto do irmão bagunceiro, uma zona!

Eu não quero mais ser a namorada do “Tudo bem”… porque “Chega de tudo bem”, eu quero viver a vida de verdade, não quero essa coisa de esperar uma chance para vê-lo, como quem espera ganhar na loteria, torcendo, arriscando, consultando os astros… Eu sou uma pessoa que preciso de segurança, de poder ligar e saber que é possível ele vir daqui a tantas horas aqui em casa. Não essa roleta russa, esse pôquer com meus sentimentos! Estou já de saco cheio, não tenho saco, eu sei, mas se tivesse, seria um daqueles de batata transbordando!!!

É muita coisa difícil junta, minhas lágrimas estão sendo gastas além da conta do aceitável! Isso me atrapalha, não tenho cabeça para o colégio, nem para nada, fico aqui cheia de confusão, chateada e tendo que dizer “Tudo beeeeemmmm”.

Mas não posso ser injusta, quando ele chega fica… Tudo bem, mas tudo bem de verdade.

Eu escrevi aqui esse e-mail e estou enviando para vocês, porque vejo tanta gente falar de força, mas eu já não estou com paciência, nem vontade para ter força nenhuma. Obrigada por esse blog existir.

Vejo que vocês colocam aqui vídeos do youtube de vez em quando, então, vou deixar o link de um que me lembra ele, seu jeito de me olhar calado, o jeito dele de me beijar, até o cabelo raspado do ator e o corte do cabelo da atriz parecido com o meu… Enfim, vi hoje esse vídeo e me deu vontade de chorar, morri de saudade, uma saudade absurda desse jeito dele, dos seus beijos… que me fez tirar essas idéias ruins da cabeça de deixá-lo. Se eu fizer isso, ele não vai aguentar, vai afundar em uma depressão e posso atrapalhar de vez o que ele está tentando construir.

6 respostas

Deixe uma resposta

Quer fazer um comentário?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *